Scalping: a Prática que Vem Arruinando Lançamentos do Mundo da Tecnologia

Se você não sabe, Scalping é uma prática muito parecida com a dos cambistas de ingressos em shows ou partidas de futebol, seu objetivo é claro, comprar o máximo possível de um produto que tem quantidade limitada e vendê lo o mais caro possível. Mas aí vem a questão, como uma atividade como essas consegue ser feita no mundo da tecnologia?

Simples, escassez de lançamento. Em todo lançamento você tem um fenômeno que é a grande demanda pelo novo produto, seja ele um processador, placa de vídeo ou console, todos são itens de grande desejo e principalmente no momento em que estamos vivendo onde temos problemas nas cadeias de produção aliada a uma demanda maior do que o normal devido às necessidades de home office ou até mesmo do lazer das pessoas que ficam em casa temos o cenário perfeito para os scalpers, que já ficam preparados em qualquer lançamento para comprar um produto que muitas vezes custa em torno de 300 a 500 dólares e depois vendem esse produto por 1.5x até 5x o valor de compra.

Várias lojas já têm tentado evitar essa prática limitando a uma ou duas peças por compra, o que torna a vida dos scalpers mais difíceis, mas a prática parece tão comum que até uma subsidiária da MSI foi pega na prática, a demanda é tão grande e as pessoas estão tão desesperadas que isso acaba gerando até que um consumidor comum que conseguiu adquirir um desses produtos queira vendê-lo mais caro por ver o lucro fácil e não ter a necessidade de usar o produto imediatamente, podendo esperar por uma nova leva sem precisar gastar mais pelo novo produto.

Mas como evitamos tal prática de acontecer? Como já dito algumas lojas já vem tentando amenizar a prática, mas a verdadeira “culpada” por esse tipo de prática são as próprias fabricantes, que como por exemplo no caso da Nvidia para evitar vazamentos só disponibiliza os planos para empresas parceiras junto ao anúncio para o público, atrasando o lançamento de modelos de fabricantes como Asus e Gigabyte e ao mesmo tempo fazendo com que o estoque seja menor, facilitando o trabalho dos scalpers. Outra fabricante que está sofrendo com o scalping é a Microsoft, que anunciou nesta segunda (16/11) que o estoque dos novos Xbox só serão normalizados no começo do ano que vem, e teve o mesmo problema de ter uma demanda muito alta para um produto novo, sem o estoque adequado para essa demanda.

Por enquanto a prática é pouco comum no Brasil, devido ao preço de eletrônicos e hardware no geral acaba que mesmo com uma alocação muito menor do que em países como os Estados Unidos, devido ao grande preço comparado a renda da população, a prática se torna quase que inviável, já que a população normalmente já aguarda alguma promoção para comprar os produtos e poucas pessoas teriam o capital e a necessidade de comprar um produto já com um preço elevada a 1.5~2x o preço. Mas em uma eventual baixa do dólar aliada a uma redução de impostos nos eletrônicos é possível sim que tal prática se torne viável, até lá esperamos que as empresas já tenham aprendido a lição e tenham maiores estoques nos lançamentos.

Leia Mais
Review Completo do Teclado Mecânico Riotoro Ghostwriter Prism | Cherry MX