Review Completo da Memória DDR4 XPG Gammix D10

Nesse review irei analisar mais um kit de memória da XPG, pertencente a série “Gammix D10”, na qual oferece modelos que vão desde os 2666MHz até 3600MHz, capacidades que vão dos 8 GB até os 16 GB com a possibilidade de os pentes serem adquiridos individualmente. O produto dessa análise é um kit composto de dois módulos de 8 GB separados, de código AX4U300038G16A-SR10, com frequência de 3000MHz e timings 16-20-20.

Os pentes de memória vem em uma pequena caixa preta com uma ilustração do produto, onde também constam informações a respeito da capacidade, frequência e RGB e uma pequena “janela” na parte traseira, o que permite ver a etiqueta com as especificações diretamente no pente de memória. As memórias vêm protegidas por um “blister” plástico que cumpre bem o seu papel de proteger contra possíveis maus tratos no transporte.

Em relação ao dissipador, a XPG optou por um dissipador de alumínio com visual “retrô”, perfil relativamente baixo e que é oferecido nas cores preto ou vermelho. Essa série não possui iluminação nas memórias.

Ao remover o dissipador, é possível ver que os chips são remarcados como “ADATA”, que no caso, se trata da empresa “mãe” da XPG.

Felizmente, o Thaiphoon Burner foi capaz de identificar os chips utilizados, no caso, são Micron E-Die, porém, fornecidos pela SpecTek, que é uma divisão da Micron responsável por fornecer soluções de menor custo para produtos de entrada, ou seja, mesmo sendo E-Die, muito provavelmente devem ser de um “bin” mais modesto.

Abaixo é possível ver que esses módulos foram fabricados na mesma semana e apesar de serem pentes avulsos, são idênticos.

Módulo 1:

Módulo 2:

Por fim, caso alguém venha a se interessar, nesse link pode ser encontrada a página do produto.

  • Configurações utilizadas:

CPU:AMD Ryzen 7 5800X

MOBO: ASUS ROG Crosshair VIII Impact (UEFI 3501)

RAM: 2×8GB XPG Gammix D10 3000MHz CL16– AX4U300038G16A-SR10 (obrigado Terabyteshop!)

GPU: GIGABYTE RX 5500 XT 8GB (Obrigado Terabyteshop!)

PSU: Antec Quattro 1200W

COOLER: Water Cooler Custom da bancada.

SSD: Sandisk 120GB

Software: Windows 10 2004 x64, TM5 0.12 1usmus config v3, AIDA64 6.32.5600 e Geekbench 3.4.2.

Objetivo e metodologia dos testes: Descobrir qual o limite para uso diário das XPG Gammix D10 usando um Ryzen 7 5800X, além da frequência máxima viável para uso diário.  Para facilitar a compreensão dos resultados, eles foram separados em dois grupos:

1) XMP: Que se trata do máximo que possível de se obter apenas carregando o perfil XMP e subindo clock/tensão, parando no “sweet spot” de 3800MHz 1:1 com FCLK @ 1900MHz que é considerado a opção mais balanceada/fácil de se obter bons números usando o Ryzen, claro, isso se a memória que estiver sendo testada for capaz de chegar lá.

A vantagem da abordagem 1 é que ela é extremamente simples e não demanda nenhum ajuste do usuário no que diz respeito aos timings, entretanto, você paga o preço da simplicidade com menor desempenho, pois os ajustes são feitos automaticamente pela placa-mãe e podem ser bastante relaxados.

2) 24/7 com ajuste fino: E aqui, foram feitos ajustes manuais em todos os timings possíveis visando obter o melhor resultado possível com viabilidade para uso diário. Por conta disso, quando possível, será testado além dos 3800MHz para explorar qual seria o limite da memória em outras CPUs ou plataformas que se beneficiem das frequências elevadas, como, por exemplo, as APUs Renoir e os CPUs Intel, visando “ajudar” os donos dessas plataformas, porém, no caso dos Ryzen 3000 e 5000 baseados em chiplets, o ajuste de melhor desempenho geralmente é aquele usando o FCLK sincronizado com a memória, no caso, 3800MHz (RAM) e 1900MHz (FCLK). Nesse artigo consta uma explicação detalhada do porque isso ocorre, de forma que é recomendada a sua leitura para uma melhor compreensão do assunto.

Nos casos 1 e 2, foram utilizados o TM5 0.12 1usmus config v3 para verificar estabilidade, o AIDA64 para ter noção dos números de banda/latência e o Geekbench 3.4.2 para ter uma melhor ideia do desempenho. Para esses testes, a CPU foi mantida em 4.6GHz com 1.25V.

  • XMP:

Com essa abordagem, foi possível obter estabilidade no TM5 com 3533 MHz usando tensão de 1.45V, o que é um resultado bastante satisfatório, especialmente se considerarmos que a maior parte dos modelos de 3000MHz que foram testados aqui na página ficaram aquém dessa marca com esse ajuste básico.

  • 24/7 com ajuste fino:

Com os ajustes finos, foi possível atingir os 3800MHz, porém, sendo necessário relaxar o tCL para 18 e tRCDRD para 22, enquanto o tRCDWR e tRP foram capazes de trabalhar com valores iguais ao tCL, o que costuma ser característico para as memórias equipadas com esses chips. Infelizmente, por se tratar de um modelo de entrada, os chips utilizados são de fato de um “bin” mais modesto, o que inviabilizou o uso de tCL 16 ou mesmo 14, porém, ainda sim, os resultados apresentados continuaram sendo superiores aos obtidos por boa parte dos kits 3000MHz já testados aqui na página.

Abaixo, os números de Leitura/Escrita/Cópia/Latência, obtidos no benchmark do AIDA64 e também no sub teste de memória do Geekbench 3.4.2, lembrando que todos esses resultados passaram no teste de estabilidade do TM5 0.12 v3 e ao menos especificamente para essas amostras, representa algo que pode ser usado diariamente.

Conclusão:

As XPG Gammix D10 apresentaram boa compatibilidade com a plataforma AMD, funcionando normalmente com XMP, onde ao se fazer overclock com esse ajuste, foi possível obter estabilidade em 3533MHz com 1.45V, o que é uma marca bastante satisfatória dada a simplicidade do acerto para a sua obtenção, já com o ajuste manual, foi possível obter 3800MHz 18-18-22-18-39 com tRFC em 600 com 1.48V, o que novamente, é um resultado respeitável para memórias 3000MHz padrão.

Em relação à disponibilidade e preço, as XPG Gammix D10 podem ser encontradas na Terabyteshop (28/5/2021) em pentes separados pelo valor de R$399,90 cada, o que no momento, é um valor um pouco elevado em relação as demais opções com especificações semelhantes, ou seja, 3000MHz CL16 e dissipadores sem iluminação RGB, contudo, isso não faz das XPG Gammix D10 uma má opção, de maneira que se elas forem encontradas com preços menores ou em promoção, são uma excelente opção, oferecendo boa capacidade de overclock dentro daquilo que é a proposta do produto.

E é isso! Dúvidas, perguntas e sugestões são bem-vindas! Até a próxima!

Leia Mais
Com falta de placas de vídeo no mercado mineradores começam a usar notebooks em fazendas de mineração