Novo socket AM5 será LGA

Todos já estamos acostumados com as diferenças da Intel contra AMD, sendo uma das mais notáveis a diferença de sockets utilizados nos processadores, com a Intel usando os sockets LGA, que possuem os pinos na placa mãe e os contatos no processador, e a AMD usando majoritariamente o PGA, que usa os pinos no processador e os contatos no socket. 

A AMD já utilizava os sockets LGA em alguns de seus produtos, como a linha de processadores para workstation e servidores, com as linhas Threadripper e EPYC respectivamente. Segundo um leaker no Twitter a AMD estaria transicionando toda sua linha para LGA no novo socket AM5, além de dar suporte a DDR5 e com a nova linha de chipsets 600 e deve ser lançado no final deste ano. 

Do contrário dos vazamentos da Intel que já confirmam PCIe 5.0 a AMD parece que irá manter o PCIe 4.0, que não traz nenhum benefício direto ao time azul, já que não existe produto no mercado que consiga saturar uma conexão PCIe 4.0, mas proporciona mais flexibilidade, já que se um processador é equipado com 16 linhas 5.0 é como se tivesse 32 linhas 4.0, o que faz com que você consiga usar mais dispositivos, como uma placa de vídeo e SSDs M.2 de alta performance, sem saturar, ou limitar a performance de nenhum dos seus dispositivos.

LGA vs PGA

Não existem vantagens entre o LGA e o PGA, mas uma coisa faz um modelo ser mais atrativo do que o outro, durabilidade. Enquanto no PGA o processador é a parte mais sensível, já que entortar qualquer um dos pinos pode fazer com que você troque o seu processador topo de linha por um peso de papel. Já no caso do LGA estes pinos estão na placa mãe, continuam sendo frágeis, porém é muito melhor ter que trocar uma placa mãe de mil reais do que ter que trocar seu processador de mais de 3 mil.

Existem exceções onde a placa mãe é mais cara que o processador, porém são placas muito menos utilizadas e no geral são indicadas para um público mais especializado, que ou tem o conhecimento para não entortar os pinos ou o capital para pagar alguém com o conhecimento para não fazer tal besteira.

Outra vantagem para a AMD é que esses pinos são tão delicados que às vezes podem ser danificados durante o transporte, o que causa RMA de processadores perfeitos, o que definitivamente não acontece com processadores que usam LGA, o que com certeza foi um fator decisivo para a transição para o LGA.

Fonte: ExecuFix@Twitter

Leia Mais
Nvidia incentiva fabricantes a informar o Clock e TGP de suas GPUs da série 30 para Notebooks