Lei americana almeja proibir scalping devido a falta de consoles, hardware e brinquedos

A prática do scalping vem causando aumento de preços. Para quem não conhece, o scalping é quando alguém, geralmente como o uso de bots, compra uma grande quantidade de um produto com estoque limitado, e depois o vende novamente por um preço mais alto.

Como essa prática geralmente acontece com lançamentos, isso acaba fazendo com que o preço seja bem maior para quem quer o produto no lançamento. Isso até então afetava apenas os primeiros meses de vida de um produto, onde a fábrica ainda não estava completamente otimizada.

Mas, como estamos em uma situação onde estamos com estoques limitados já faz tempo a prática do scalping vinha trazendo um novo “normal”. E o que causava com que as próprias lojas nos EUA praticassem esses preços mais altos para evitar a prática do scalping. Ou até mesmo aplicando um sistema de “loteria” onde você teria que fazer um cadastro e ser sorteado para poder comprar uma placa no preço normal, assim dificultando muito a vida desses scalpers.

Lá, já existe uma lei que proíbe o uso de bots, em shows, onde o scalping era muito utilizado. Eles fizeram com que os ingressos sejam intransferíveis, assim inibindo a prática. Agora os legisladores americanos estão querendo ampliar essa proibição para o comércio em geral. Assim fazendo com que os preços de futuros lançamentos não sejam tão afetados.

Como isso afeta o Brasil?

E você se engana em pensar que isso só vai ajudar o mercado americano. Já que com isso muitas placas que lá estavam paradas na mão de scalpers, ou até mesmo que fossem re-estocadas por varejistas, poderiam estar indo para outros mercados, como o nosso.

Essa prática vem destruindo tanto o mercado americano que em boa parte dos últimos dois anos, comprar uma placa no Brasil estava sendo mais barato que nos EUA. Mesmo com nossa carga tributária muito maior.

Fonte: KitGuru

Leia Mais
Melhores Placas de vídeo do momento para rodar TOP 3 jogos Steam