REVIEW Geil Super Luce RGB Sync ‘AMD Edition’ 3200CL16

Fala pessoal, beleza?

Nesse review irei analisar mais um kit de memória Geil, dessa vez de uma série denominada “Super Luce RGB Sync AMD Edition” na qual oferece modelos que vão desde os 2133MHz até 3600MHz, iluminação RGB e são voltados especialmente para os Ryzen. O kit em questão é composto de apenas um módulo 3200MHz 16-18-18-38, porém, também é oficialmente oferecido em versões dual e quad channel. Por questões de disponibilidade, nesse artigo usarei dois desses “kits” idênticos para fazer dual channel.

Os pentes de memória vem em uma embalagem que destaca bem a linha na qual o produto pertence e possui uma “janela” que permite ao comprador ver a memória e a etiqueta com as especificações que é colada na mesma. Dentro dessa embalagem, se encontra a memória devidamente protegida por um blister plástico que cumpre o seu papel de proteger o produto contra danos.

Para essa série, a Geil optou por utilizar um dissipador de alumínio que é oferecido em duas cores, preto ou branco, com iluminação RGB e pelas fotos é possível verificar que o mesmo não faz contato por inteiro com os chips de memória, o que certamente é algo incomodo de se ver, porém, chips de memória DDR4 não costumam dissipar muito calor, não sendo normalmente necessário o uso de dissipadores para sua operação, sendo que os mesmos costumam ser mais um “adereço” estético que serve como uma forma de diferenciar os produtos oferecidos por diferentes fabricantes.

Apesar do Thaiphoon Burner nos dizer que essas memórias utilizam chips Samsung B-Die com código K4A8G085WB-BCPB, o que está errado, como mostrarei mais adiante, a possibilidade maior é que essas memórias utilizem na verdade chips Samsung C-Die como na versão 3000CL16 anteriormente testada. A princípio, a informação na qual dispunha era de que esses dados são opcionalmente gravados pelo fabricante no SPD da memória e a única coisa que esse software fazia era ler e mostrar, porém, o site oficial do mesmo está fora do ar há um bom tempo e por isso não existe nenhum meio de contatar o desenvolvedor para tentar obter esse esclarecimento. De todo modo, SE o problema for apenas um erro de detecção do software, muito bem, porém, caso essa informação seja gravada no SPD pelo fabricante, ai temos um problema sério, afinal de contas, esses chips possuem caracteristicas bastante diferentes no que diz respeito a frequência/timings/tensão e muita gente compra memória procurando por essa informação dos chips.

E aqui, um pequeno video mostrando como é o efeito dos leds RGB desssas memórias em sua configuração padrão:

Por fim, caso alguém venha a se interessar, nesse link pode ser encontrada a página do produto no site do fabricante. Então vamos aos testes e as configurações utilizadas!

Configurações utilizadas

CPU:AMD Ryzen 7 3800X (obrigado AMD!)

MOBO: ASUS ROG Crosshair VII Hero (UEFI 2901)

RAM: 2x8GB Geil Super Luce RGB Sync ‘AMD Edition’ 3200 CL16 (Obrigado Terabyteshop!)

GPU: ASRock RX 5700XT Challenger (Obrigado Terabyteshop!)

PSU: Antec Quattro 1200W

COOLER: WC Custom

SSD: Crucial BX300 120GB

Software: Windows 10 1903 x64, AMD Ryzen Master, TM5 0.12 1usmus config v3, AIDA64 6.00.5100.

Objetivo e metodologia dos testes: Descobrir qual o limite da Geil Super Luce 3200CL16 usando um CPU Ryzen de terceira geração e também chegar na melhor configuração estável para uso diário. Para isso, separei os resultados em três grupos:

1) XMP: Que basicamente é o máximo que consegui obter apenas carregando o perfil XMP e subindo clock/tensão, parando no “sweet spot” de 3733MHz 1:1 com FCLK @ 1866MHz que é considerado a opção mais balanceada/fácil de se obter bons números usando o Ryzen de terceira geração, claro, isso se a memória que estiver sendo testada for capaz de chegar lá. 😉

A vantagem da abordagem 1 é que ela é extremamente simples e não demanda qualquer ajuste do usuário no que diz respeito aos timings, entretanto, você paga o preço da simplicidade com menor desempenho pois ai os ajustes são feitos automaticamente pela placa-mãe e podem ser bastante relaxados.

2) 24/7 com ajuste fino: Aqui foram feitos ajustes manuais em todos os timings possíveis visando obter o melhor resultado possível com viabilidade para uso diariamente. Por conta disso, quando possível irei além dos 3733MHz para explorar o limite da memória, porém, mantendo o FCLK em 1866MHz para um melhor desempenho no modo assíncrono.

Nos casos 1 e 2, utilizei o TM5 0.12 1usmus config v3 para verificar estabilidade e o AIDA64 para ter noção dos números de banda e latência. Para esses testes, o CPU foi mantido em stock.

Resultados

Como disse anteriormente, o primeiro passo foi testar as memórias usando a abordagem 1. Na captura de tela abaixo, é possível ver como fica a configuração padrão (XMP) da Geil na plataforma AM4.

Com essa abordagem foi possível carregar o SO com as memórias em até 3333MHz, entretanto, as mesmas não apresentaram estabilidade com essa ultima configuração mesmo após aumento da tensão das memórias (VDIMM), portanto, o máximo que pude obter com estabilidade usando essa abordagem foi 3200MHz com 1.35V, em outras palavras, funcionou bem apenas em stock. Uma observação que faço é que assim como na Geil EVO Potenza, essas memórias também não aceitaram trabalhar com tensões acima de 1.4V, sempre apresentando problemas no post (exemplo: parando na ultima etapa com algum post code como 06 ou 07) ou mesmo instabilidades no SO com o driver de vídeo resetando a todo momento.

Agora com a abordagem 2, usando como referência os timings padrões e posteriormente os ajustes obtidos na Geil EVO Potenza, o máximo possível de se obter com ajustes manuais foram os mesmos 3533MHz com exatamente os mesmos timings, com a memória apresentando erros ou mesmo resetando durante o TM5 caso tentasse apertar um pouco parâmetros como tRCDRD/tRCDWR e tRFC. Novamente, foi imprescindível o ajuste manual das impedâncias do CAD Bus Drive Strength para se obter estabilidade, sendo necessário utilizar ao menos 24Ω nos quatro parâmetros disponíveis.

E por fim, eis os números de Leitura/Escrita/Cópia/Latência obtidos no benchmark do AIDA64, lembrando que todos os resultados aqui apresentados passaram no teste de estabilidade do TM5 0.12 v3 e ao menos especificamente para a amostra que tenho em mãos, representa algo que pode ser usado diariamente. 😉

Conclusão

A Geil Super Luce RGB Sync ‘AMD Edition’ entrega aquilo que promete, que é a compatibilidade com CPUs Ryzen “out-of-box” e iluminação RGB. Do ponto de vista do overclock, esse kit de memória obteve exatamente os mesmos números do kit Geil EVO Potenza 3000CL16 que testei recentemente, só que com a desvantagem de não oferecer nenhuma margem “fácil”, em outras palavras, os ganhos se apresentam apenas após ajuste manual de todos os parâmetros, não tendo nenhuma margem para overclock enquanto usando apenas o XMP. Em resumo, essa memória na prática trata-se de uma versão RGB com da Geil EVO Potenza que testei anteriormente, só que rodando @ 3200MHz em stock.

Do ponto de vista do custo-benefício (o famoso CxB), o último preço praticado por esse kit foi de R$249 para apenas um pente de memória, o que faz com que o preço para dual channel, que foi a configuração utilizada nos testes, chegue perto dos R$500, o que justifica a compra dessa memória apenas se iluminação RGB for algo imprescindível, pois nessa situação, esse kit trata-se de uma das opções mais acessíveis no mercado. Se não for esse o caso, existem várias opções melhores de memórias de 8GB (ou kits 2x8GB) sem RGB só que usando chips melhores, com maior margem de overclock e melhor desempenho no fim das contas.

E é isso! Dúvidas, perguntas e sugestões são bem-vindas! Até a próxima! 😀

Leia Mais
VAZAM ESPECIFICAÇÕES DAS NOVAS PLACAS DE VÍDEO DA AMD, NAVI 2